Bolsonaro recebe prêmio de honra ao mérito “Canavieiro do Brasil” pelos serviços prestados ao setor

Presidente reuniu cinco ministros para tratar de pautas do segmento

Em último evento oficial de Alexandre Andrade Lima enquanto presidente da Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana), várias pautas do setor bioenergético foram tratadas com o presidente Jair Bolsonaro e os ministros da Economia, Agricultura, Minas e Energia, Meio Ambiente e de Turismo em audiência no Palácio do Planalto, nesta segunda-feira (21), em Brasília.

A comitiva dos canavieiros buscou o apoio do Executivo para a aprovação do PL 3149, de autoria do deputado Efraim Filho, que defende a inserção dos produtores de biomassa dos biocombustíveis no recebimento de Crédito de Descarbonização (CBIOs), sendo bem recepcionado na ocasião.

Tratou, ainda, da necessária revisão pelo Ministério da Agricultura quanto à forma e o conteúdo que está sendo tratada a atualização de uma Instrução Normativa (IN 13/2005) que pode criar o impedimento para a produção brasileira de cachaça, afetando exclusivamente os estados produtores nordestinos, a exemplo de PE, que é o 2° maior produtor e exportador do país. Tereza Cristina garantiu observar com atenção e dará uma resposta com brevidade.

LEIA MAIS > Governo zera imposto de importação do etanol e do açúcar

Alexandre agradeceu a Bolsonaro pela atenção e por reunir cinco ministros para juntos tratarem dos assuntos do agronegócio, tendo a cana-de-açúcar como destaque. Na ocasião, o presidente recebeu da Feplana o prêmio da honra ao mérito Canavieiro do Brasil. “São muitos os serviços já prestados em favor dos 60 mil agricultores do setor, como a venda direta de etanol pelas usinas”, justificou a entidade.

A ligação de Bolsonaro e o segmento dos fornecedores de cana iniciou ainda na sua pré-campanha em função da sinergia pela defesa do agronegócio e família. Lima fez uma pequena retrospectiva e oficializou a posição da Feplana em apoiá-lo outra vez, agora em busca da sua reeleição à Presidência do Brasil.

agronegóciocana-de-açúcarfeplanaJair Bolsonaro