Bento Albuquerque conhece laboratórios de inovação do Petrobras

Ministro conheceu as tecnologias que estão sendo desenvolvidas para aumentar a produção de diesel no Brasil

O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, participou, nesta sexta-feira (18/02), de uma visita técnica aos laboratórios de inovação de gás, combustíveis e planta-piloto do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento (Cenpes) da Petrobras, na Ilha do Fundão (RJ). Acompanhado do presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, o ministro conheceu o Laboratório de Combustíveis e o Laboratório de Motores, além das tecnologias utilizadas para aumentar a produção de diesel no Brasil.

Entre as tecnologias desenvolvidas e analisadas está a FlexCool, que aumentou o processamento da parte mais pesada do petróleo possibilitando o aumento da produção de diesel do país. Foram desenvolvidas também a gasolina com baixo teor de enxofre e o diesel Renovável, que já está em fase de testes.

LEIA MAIS > O desafio da integração da manutenção agrícola e industrial

Na ocasião, o ministro Bento Albuquerque parabenizou o Cenpes pelas atividades que estão sendo desenvolvidas no âmbito das políticas públicas. “Vimos que foi apresentado o Programa Combustível do Futuro e a importância de resoluções do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), mais de 30 nos últimos três anos. Se juntarmos todas essas políticas públicas, aperfeiçoamos nossos marcos legais e regulatórios para termos segurança jurídica e um ambiente de negócios propício a investimentos nesse setor, que é tão importante para o nosso país. Não podemos perder essa liderança no setor de energia no mundo”, enfatizou o ministro.

O gerente da Inteligência e Articulação da REX, Gustavo Cotrim, afirma que a visita técnica ajudam a desmitificar o desenvolvimento tecnológico produzido pela companhia. “Nossa contribuição é baseada em pesquisas, dados técnicos e testes reais em nossos laboratórios”, disse.

O diesel renovável é produzido por coprocessamento, tecnologia que utiliza as unidades industriais existentes nas refinarias de petróleo. Apesar de ainda não ser usada industrialmente no Brasil, é amplamente utilizada na Europa e nos Estados Unidos.

“Conseguimos apresentar o local onde criamos e testamos produtos que farão a diferença no mercado, trazendo para a realidade os combustíveis do futuro”, conclui Antônio Vicente de Castro, gerente geral de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em downstream, midstream e sustentabilidade do Cenpes.

LEIA MAIS >Representantes do biodiesel cobram normalização da mistura do combustível

Participaram da visita técnica o secretário de Petróleo e Gás do Ministério de Minas e Energia (MME), Rafael Bastos, o secretário adjunto de Petróleo e Gás do MME, Pietro Mendes, e o CEO da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Evandro Gussi. Também estavam presentes o diretor de Relacionamento Institucional e Sustentabilidade, Rafael Chaves, o diretor de Transformação Digital e Inovação, Juliano Dantas, e o gerente executivo de Relacionamento Externo, Pedro Brancante, e o gerente executivo do Cenpes, Anderson Rapello.

 

Ministério de Minas e Energia