Artigo: fatores de sucesso do controle biológico

Gustavo Ranzani Herrmann, diretor comercial da Koppert Biological Systems

Controle biológico consiste na redução da população de organismos indesejáveis a sistemas agrícolas através de um ou mais inimigos naturais, que predam, parasitam ou competem com os primeiros.

Cotesia e Trichogramma para controle de broca e Metarhizium para cigarrinha são os produtos biológicos mais utilizados em cana. Bom para o setor, bom para o meio ambiente.

Porém, pelo menos três pré-requisitos básicos da atividade devem ser observados para se obter resultados positivos. Quais sejam:

  • Tecnologia: o processo fabril demanda acurada tecnologia com vistas à preservação do efeito natural do agente e sua multiplicação em larga escala. Praticidade de uso e viabilidade técnica devem também fazer parte do desenvolvimento tecnológico do produto.
  • Qualidade: o monitoramento dos indicadores de qualidade dos produtos da indústria até a sua utilização no campo permite o aproveitamento total da tecnologia, já que estamos lidando com produtos vivos.
  • Legalidade: Produtos à base de agentes biológicos são classificados como defensivos e, portanto, seguem a mesma legislação federal de agrotóxicos. A não observância desse requisito implica em sanções penais a fabricante e usuário.

A crescente exigência pela racionalização do uso de agrotóxicos no setor canavieiro trará grandes oportunidades ao controle biológico que, se adotado com profissionalismo, pode contribuir sobremaneira com a produção sustentável de energia no Brasil.

*Gustavo Ranzani Herrmann é engenheiro agrônomo. Preside a ABCBio – Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico e é diretor comercial da Koppert Biological Systems

controle biológicoGustavo Ranzani HerrmannKoppert