ANP debate qualidade do biodiesel em workshop

Iniciativa visou debater a participação dos biocombustíveis na matriz veicular

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realizou nesta sexta-feira (15) o “Workshop Projeto Biodiesel“, com transmissão online.

O evento teve como objetivo apresentar as ações da ANP para a garantia da qualidade dos combustíveis, a exemplo do biodiesel, diesel A e diesel B, comercializados no país, assim como promover discussões técnicas entre produtores de biodiesel, usuários e distribuidores de combustíveis, além de representantes governamentais.

Na abertura do evento, a diretora da ANP Symone Araújo afirmou que “o propósito é fornecer um espaço para um amplo debate entre os diferentes atores do setor, levando-se em conta a transição energética, a inserção dos biocombustíveis na matriz veicular nacional e a proteção do consumidor quanto à qualidade dos combustíveis”. Ela lembrou ainda que o workshop é ambientado no Centro de Pesquisas e Análises Tecnológicas (CPT) da ANP.

LEIA MAIS > Tolerância para pesagem de caminhões é ampliada

“O CPT é responsável pelas pesquisas e análises físico-químicas que garantem a qualidade dos combustíveis e produtos regulados pela ANP no Brasil. Com mais de 40 anos, o CPT certamente é o centro das discussões sobre qualidade dos combustíveis no Brasil, do ponto de vista da ANP”.

Também na abertura, o diretor-Geral da Agência, Rodolfo Saboia, destacou o papel do Brasil com relação à participação dos biocombustíveis na matriz veicular. “Temos há décadas o etanol no Ciclo Otto e, desde 2007, o biodiesel como componente crescente no óleo diesel. A relevância da participação do óleo diesel na matriz veicular nacional, com a presença do biodiesel na sua composição, reforça a importância do biodiesel na cadeia de abastecimento nacional. A ANP ao longo dos últimos anos buscou aprimorar a especificação e o controle da qualidade tanto do óleo diesel fóssil quanto do biodiesel, com vistas a contribuir para a consolidação desse importante energético renovável que tem papel essencial na transição energética do Brasil”, declarou.

LEIA MAIS > Crise hídrica preocupa em 2022

No evento, foram apresentados o desenvolvimento e a evolução do Projeto Biodiesel, ação realizada pela ANP como antecipação ao novo Programa de Monitoramento da Qualidade do Biodiesel (PMQBio), que irá acompanhar a qualidade do biodiesel (B100) e o diesel A (puro) antes que esses produtos sejam misturados para formação do óleo diesel B (diesel de uso rodoviário).

O PMQBio se somará ao Programa de Monitoramento da Qualidade dos Combustíveis (PMQC), que, desde 1998, monitora a qualidade do óleo diesel B, do etanol e da gasolina C nos postos de combustíveis e, em seu novo formato (atualmente na fase de projeto piloto), irá cobrir também bases de distribuidores.

O Projeto Biodiesel consiste em ações para coletas de amostras de óleo diesel B, diesel A e biodiesel (B100), e suas respectivas análises laboratoriais no CPT. Na primeira fase, cujos resultados foram apresentados hoje no workshop, foram analisados biodiesel e diesel B (S10 e S500) coletados em bases de distribuições, tanto nos caminhões-tanque que chegavam dos produtores para abastecer as bases quanto nos tanques dessas bases. Na próxima fase, serão analisadas amostras de diesel A. As ações foram focadas em agentes de regiões com mais reclamações relacionadas à qualidade recebidas pela ANP dos consumidores: Bahia, Goiás e Minas Gerais.

LEIA MAIS > Inmetro apresenta projetos de energia renovável em Dubai

Nas próximas etapas do projeto, além do retorno às bases para coleta do diesel A, serão feitas ações de fiscalização nos agentes em que foram encontradas não conformidades. O projeto será ainda estendido para outras localidades não cobertas na primeira etapa. Além disso, a ANP também está com ações regulatórias em andamento para aprimoramento das especificações dos combustíveis.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ANPbiocombustíveiscombustíveisetanolmatriz veiculartransição energética