AFCP inaugura laboratório de análise de solo e foliar

Local vai contribuir no diagnóstico prévio dos canaviais e demais culturas agrícolas em Pernambuco

A fim de contribuir na melhora da fertilidade e produtividade dos canaviais dos seus 7,1 mil associados, a Associação de fornecedores de cana de Pernambuco (AFCP) investiu mais de meio milhão de reais em equipamentos e estrutura em um laboratório próprio em sua sede no Recife, onde analisará e indicará a correção das propriedades física e química do solo e da cana.

A inauguração na última semana contou com a presença de representantes do Governo e do Parlamento estadual, UFRPE, e do setor sucroenergético, a exemplo da Asplan-PB, Sindicape, antigos presidentes da AFCP (Ademar Lima, José Maria e Manoel Soares), do presidente do Grupo EQM, Eduardo Monteiro, e do coordenador da Rede Interuniversitária para Desenvolvimento do Setor Sucroenergético (Ridesa) em PE, Djalma Euzébio.

Na ocasião, o atual presidente da AFCP, Alexandre Andrade Lima homenageou um ex-presidente da entidade, Severino Ademar de Andrade Lima, nome no qual foi batizado o novo laboratório.

“Essa homenagem a Severino Ademar é mais que justa. Em suas duas gestões à frente da AFCP (1984/86, 1989-92), foi um período de reformas e muitas mudanças para o setor. Foi criado, por exemplo, o Sistema de Pagamento de Cana pelo Teor de Sacarose – modelo usado até hoje, bem como a construção do Laboratório de Fungos para controle biológico da Cigarinha (praga da cana) – funcionando até os dias atuais”, destacou Alexandre.

Para Frederico Carrazzoni, integrante do corpo de agrônomos da AFCP, que recebeu inclusive treinamento pelo IPA no Recife, e em um laboratório especializado em Petrolina, o laboratório de análise de solos e foliar suprirá várias necessidades do produtor. Atenderá as questões técnicas, como na identificação de solos arenosos e argilosos, bem como dos elementos químicos, para assim fazer as correções de solo e uma adubação adequada para a cultura, incrementando o seu desenvolvimento e consequentemente a sua produtividade.

LEIA MAIS > Controle biológico se enquadra na ESG e aumenta demanda na utilização de microorganismos

O especialista também destaca vários benefícios econômicos. A análise do solo funciona como um exame de sangue no corpo humano. Ela faz o diagnóstico completo e indica os elementos em falta e em excesso para poderem ser balanceados. “Assim, ao invés de fazer uma adubação com formulações sem certeza de sua eficácia, o que ainda costuma ocorrer infelizmente na região com frequência, na maioria das vezes copiando o que acontece no canavial do vizinho, agora o produtor realizará o diagnóstico exato, evitando o desperdício e custos desnecessários e ainda garantindo a fertilidade do seu canavial”, explica Carrazzoni.

Andrade Lima, que também é engenheiro agrônomo, reforça essa importância desse diagnóstico na propriedade do produto rural, do seu solo. “Vai otimizar o uso de adubo de fertilizantes, os quais estão bastante caros e que não podem ser desperdiçados. Assim, não se usa de mais nem de menos, mas a quantidade adequada para garantir a melhor fertilidade e produtividade da sua atividade agrícola, seja ela qual for”, conclui Lima.

Outro benefício para o produtor vai evitar até a dor de cabeça na hora do financiamento bancário para o custeio da safra. O presidente da AFCP alerta que a liberação do crédito somente é concedida mediante a apresentação da análise de solo. Logo, este laboratório preencherá também essa questão de extrema necessidade para o setor canavieiro e das demais culturas agrícolas de Pernambuco.

O novo laboratório também ajudará os 7,1 mil associados da AFCP em um dimensionamento antecipado da adubação foliar, visto que a análise das folhas também será realizada, indicando um diagnóstico dos produtos que devem ser utilizados com maior eficácia, reduzindo os custos.

 

adubaçãoAFCPcontrole biológico