Aécio Neves fala em regras estáveis e diretrizes claras para o setor

Aécio Neves: “Nenhum setor tem sido tão vitimizado pelo atual governo quanto o sucroenergético”

Durante evento realizado em São Paulo, SP, nesta segunda-feira, 2 de junho, o pré-candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, afirmou que o setor sucroenergético foi “abandonado” pelo atual governo, caminhando, assim, na contramão das necessidades mundiais.

Em seu discurso, o representante lembrou o fechamento de diversas usinas, além de reiterar que outra parte está em vias de liquidação ou iniciando processos de recuperação judicial. “Nenhum setor tem sido tão vitimizado pela incapacidade do atual governo quanto o sucroenergético”, explicou.

Em sua opinião, o país precisa de regras mais estáveis do ponto de vista fiscal e tributária, diretrizes mais claras de aumento na participação do etanol na matriz de combustíveis, incentivo à inovação, além de uma política mais ousada de comércio exterior, com flexibilização do Mercosul, permitindo a relação do Brasil com países de fora do bloco.

Outro ponto colocado como fundamental para a retomada do setor pelo tucano é garantir o equilíbrio na formação de preços de etanol no Brasil, desvinculado do preço da gasolina e compatível com sua demanda real. “No momento em que nós deveríamos estar discutindo no Brasil a competitividade, a produtividade, falando em ampliação de investimentos em inovação, estamos voltando a discutir uma agenda de dez anos atrás, a agenda da inflação e da credibilidade do país”, disse.

Ao final, Aécio ironizou as declarações da presidente Dilma Rousseff (PT), pré-candidata à reeleição, de que a situação econômica do País vai melhorar após as eleições. “Concordo com Dilma, em novembro as coisas vão melhorar; para isso, ela precisa perder a eleição”, afirmou.

Aécio NevescombustíveiscriseEleiçõesetanolpolíticapresidenciáveisTop Etanol