Adriano Pires desiste de assumir presidência da Petrobrás

Conflito de interesses estariam por trás da desistência de Pires
Adriano Pires

O consultor Adriano Pires, indicado pelo governo Jair Bolsonaro para a presidência da Petrobras, comunicou nesta segunda-feira (4), que desistiu de assumir o comando da Estatal.

Pires, que já trabalhou na Agência Nacional de Petróleo (ANP) e é fundador do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), tem contratos de longo prazo com petroleiras e empresas de gás, como a Cosan. Ele teria que abrir mão dos negócios.

Quem também desistiu de assumir um cargo na Petrobrás, foi o empresário Rodolfo Landim, que foi indicado para presidir o Conselho de Administração da empresa. Em carta enviada ao ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, ele justificou sua decisão dizendo que manteria sua atuação como presidente do Flamengo, clube que em 2021 o elegeu como presidente, por um mandato de três anos.

LEIA MAIS > Chegou a vez do gás verde?

Desta a forma, o general Silva e Luna permanece no comando da estatal. O governo tem até dia 13 de abril, data em que ocorre a Assembleia Geral de Acionistas da Petrobrás, para indicar um novo nome para a presidência da empresa.

 

 

 

 

 

Petrobras