2021 mostrou mais uma vez a resiliência do setor bioenergético

Confira todo o conteúdo do JornalCana de cdezembro

Apesar de ser considerada uma das temporadas mais desafiadoras do ponto de vista agronômico, com seca persistente, incêndios, geada e atrasos no desenvolvimento fisiológico, a atual safra reforçou o conceito de resiliência do setor bioenergético, que venceu grandes desafios e segue firme para um novo ano, com expectativas de melhores indicadores do que os registrados até o momento.

Nesta edição, o JornalCana traz um panorama sobre as perspectivas para a safra 2021/22, com opiniões de lideranças do segmento como a de Luiz Carlos Corrêa Carvalho, diretor presidente da Canaplan, que estima que a próxima safra de cana-de-açúcar deve trazer mais estabilidade para o setor, porque os preços tanto do etanol, como do açúcar devem se manter bons para os produtores.

A edição mostra também as novidades jurídicas em relação à setor, como a aprovação do projeto de lei de conversão (PLV 27/2021) da Medida Provisória (MP) 1.063/2021, que autoriza os postos de combustíveis a comprar etanol hidratado diretamente de produtores e importadores. Assim como o reconhecimento da Organização Mundial do Comércio (OMC) sobre o abuso da Índia quanto aos termos do Acordo sobre Agricultura ao fornecer níveis excessivos de apoio interno para seus produtores de cana-de-açúcar e subsídios à exportação de açúcar.

LEIA MAIS > Menor consumo de etanol nos EUA por causa da Covid-19 motiva redução nos mandatos

Além disso, ressalta as iniciativas de usinas para otimizar os processos industriais e agrícolas, que foram debatidas durante os webinares realizados pelo JornalCana no mês de novembro.

A matéria de capa destaca os progressos do Grupo Viralcool que começou a ser germinado em 1886, com a vinda da Itália, de Eugênio Toniello, o grande patriarca da família. O grupo, que finalizou a safra 2021/22 com moagem de 5,9 milhões de toneladas, passou por uma reestruturação no início de 2019, mudando o seu processo diretivo, com a implementação da profissionalização da gestão, sem perder o DNA da família a frente dos negócios.

Em entrevista, os diretores da companhia informaram que os constantes investimentos do grupo são alavancas para o crescimento, dentre eles, os aportes feitos em equipamentos, na expansão da área de plantio e no aumento da eficiência industrial com a implantação do software S-PAA de Otimização em Tempo Real (RTO) nas unidades Pitangueiras e Castilho, avançando, assim, na jornada de transformação digital de forma simultânea. O sistema está sendo implantado na versão Full, que envolve a parte da cogeração, utilidades e também processos.

LEIA MAIS > Archer Consulting prevê estabilidade no preço do açúcar na safra 22/23

Há projeto também para a instalação de uma planta de biogás, na unidade de Castilho. Além de todo o trabalho desenvolvido pela usina, no entorno das comunidades onde suas unidades estão instaladas. No plano interno os cuidados do grupo também são expressivos, através de diversos programas e projetos de Desenvolvimento Humano e Organizacional- DHO.

A edição destaca ainda os homenageados no Prêmio MasterCana Brasil 2021. A tradicional premiação acentuou o protagonismo do setor bioenergético. Para as lideranças, o desafio do setor é apresentar ao mundo a cana como sinônimo de economia verde.

É muito conteúdo interessante.

Boa leitura!

Para ler o jornal completo, clique AQUI!

canaeconomia verdesetor bioenergético