fbpx

Aberta consulta pública para revisão de Padrão de Produção Bonsucro

Ação acontece a cada cinco anos

O Padrão de Produção Bonsucro será revisado e a consulta pública foi aberta hoje. O Bonsucro é uma iniciativa global, lançada em 2011, que desenvolveu um padrão métrico de certificação, voltado a alcançar uma produção sustentável de cana-de-açúcar e todos seus produtos, como açúcar e etanol, nas dimensões social, ambiental e econômica. Seus critérios, princípios e indicadores são utilizados mundialmente para garantir a sustentabilidade do processo de fabricação dos derivados da cana-de-açúcar.

De acordo com Livia Ignácio, gerente do Bonsucro no Brasil, a revisão do Padrão de Produção Bonsucro é feita a cada cinco anos. “O Bonsucro elege um grupo de trabalho, que se reúne e discute as mudanças. O processo é regido conforme as normas do ISEAL”, explica. O grupo de trabalho é formado por 13 integrantes de vários países, tendo três representantes do Brasil.

Além de corrigir problemas no padrão atual e alinhar com outros documentos normativos Bonsucro, a revisão tem como objetivo incluir prioridades identificadas em pré-revisão, tais como:

Na vertente social, melhorar a orientação sobre novas formas de trabalho forçado, dos alojamentos para trabalhadores e salários. No ambiental, é incluir informações sobre a água utilizada nas propriedades, proteger áreas AVC e promover a resiliência climática. Além disso, incluir a aplicação de indicadores críticos do padrão de produção fora da unidade de certificação.

Livia Ignácio é gerente do Bonsucro no Brasil

A consulta pública ficará aberta até julho de 2020. De agosto até novembro será desenvolvido o segundo rascunho do padrão com alterações finais e aprovações. De novembro de 2020 a janeiro de 2021, a consulta passa pelos auditores e alterações finais serão feitas até março de 2021.

Serão feitos também webinars nas próximas semanas para destacar as principais alterações feitas no índice. Neste momento será revisado só o padrão de produção. Já o guia do Padrão, a calculadora Bonsucro e o Protocolo de Certificação (Certification Protocol) serão revisados para serem modificados conforme o Padrão de Produção.

Link página consulta pública:

http://www.bonsucro.com/production-standard-revision-public-consultation/

Relatório anual

O Bonsucro acaba de divulgar seu relatório anual de resultados com dados coletados a partir da safra 2018-19. O documento usa dados da calculadora Bonsucro  – uma ferramenta de relatório que certifica o uso dos operadores, medindo seu impacto e comparando o desempenho com os indicadores de sustentabilidade.

Das 123 usinas com certificações Bonsucro no mundo, 72 estão no Brasil. Há ainda no País, duas associações de produtores de cana (Associação dos Fornecedores de Cana da Região de Bariri (ASSOBARI)  e a Associação dos Fornecedores de Cana de Guariba (Socicana)) e um grupo produtor de cana independente (Fazenda Bartira – Unidade Rancharia), certificados. Também que, em 2019, 25 novas organizações passaram a ser integrantes do Bonsucro e no Brasil, a instituição ganhou seis novos membros.

O levantamento mostra também que 5,8% da terra global de cana-de-açúcar é certificada pela Bonsucro e que as emissões de CO2 caíram 5,5% em um ano após a certificação das usinas. Como também, que os rendimentos aumentaram em uma média global de 8,65 toneladas adicionais de cana-de-açúcar por hectare. As conclusões do relatório demonstram que há um valor significativo para as comunidades de produtores adotarem práticas sustentáveis.

De acordo com o relatório, a Bonsucro está comprometida em apoiar as comunidades de pequenos agricultores por meio de projetos de parceria com a PepsiCo, que oferecem treinamento aos pequenos produtores de cana-de-açúcar na Índia e na Tailândia. Mas o trabalho do projeto da Bonsucro também se estende além do treinamento direto com as comunidades agrícolas.

A instituição também tem parceria com o Earth Innovation Institute e a Agroicone para se alinhar à política de biocombustíveis do Brasil, o RenovaBio, para ajudar a diminuir as emissões de gases de efeito estufa do país. Essa estratégia, em parte, visa aumentar o uso de biocombustíveis na matriz de transporte do Brasil.

“Estamos em parceria com outras organizações para lidar com as questões importantes de nossos tempos. Nosso último relatório de resultados mostra que o Bonsucro está dando uma contribuição valiosa para um setor de cana-de-açúcar muito mais sustentável e cadeias de valor resilientes”, afirmou Danielle Morley, CEO da Bonsucro.

Link página Relatório Anual:

http://www.bonsucro.com/impacts/

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

3 + 19 =

X