fbpx

A safra 2019/20 está sendo melhor que as expectativas iniciais no agronegócio da cana

Artigo de Julio Maria Borges

Colheita de cana para a Cevasa, que completa 20 anos neste 2019 (Foto: Lourenço Furtado / Fato e Foto/Divulgação)

Julio Maria Borges*

A safra atual de cana de açúcar no Centro-Sul está sendo melhor que as expectativas iniciais.

Clima favorável

A performance de moagem no Centro-Sul no período Abril-Novembro de 2019 foi boa.

O clima mais seco, com chuvas acumuladas no período abaixo da média de longo prazo, permitiu um esmagamento da cana em ritmo mais acelerado e um rendimento industrial melhor.

A antecipação do final da moagem é reflexo desta condição e permite reduzir os custos operacionais da safra.

Se este clima mais seco observado neste ano no CSUL vai prejudicar a próxima safra de cana ainda não se sabe. Basicamente vai-se depender das chuvas do período Dez19-Mar20 , que são decisivas para o tamanho da nova safra 2020/2021.

No tocante à quantidade de cana moída, o CSUL deve processar nesta safra 2019/20 algo em torno de 579 mi de toneladas de cana, ligeiramente melhor que nossa expectativa inicial de 568 mi tc.

Leia também:

“Um controle mais que avançado” é destaque em conferência na Colômbia

Preços favoráveis

Inicialmente vamos lembrar da taxa de câmbio .

No inicio da safra (Abril/19) o relatório Focus previa para o final deste ano uma taxa de câmbio de 3,70 R$/US$. No final da semana passada o relatório Focus já previa 4,10 R$/US$ .

O câmbio mais alto beneficia a receita do setor de duas maneiras: melhora o preço em Reais das exportações de açúcar e torna mais cara em Reais a importação de etanol americano .

Neste caso, protege o mercado interno de etanol das importações quando ocorrem aumentos de preços domésticos.

As usinas com dívidas em US$ ficam prejudicadas com a elevação da taxa de câmbio, na medida em que aumenta a despesa financeira.

Os preços médios do açúcar e etanol no mercado interno de São Paulo estão cerca de 9% acima daquele do ano passado.

O açúcar de exportação acompanha a melhora do mercado interno e está com preços 9,3% acima dos preços da safra passada.

Para o Norte-Nordeste verifica-se que os preços do etanol estão 6,5% acima daqueles da safra passada e os preços do açúcar estão 16% e 10% acima.

Neste último caso estamos nos referindo ao mercado interno e exportação, respectivamente.

Em resumo, a situação econômica e financeira do setor começa a melhorar , particularmente para as usinas de menor custo de produção e melhor comercialização da safra, que terão resultados positivos em seus balanços.

[Artigo originalmente postado no Blog da Cana. Clique aqui]

*Sócio-Diretor da JOB Economia e Planejamento.

Conselheiro de Administração.

Email: [email protected]              Site: www.jobeconomia.com.br

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

1 × 2 =

X