16 projeções para as safras 18/19 e 19/20 que você não pode perder

A safra de cana-de-açúcar 2019/20 na região Centro-Sul do País deverá ter a mesma oferta de cana-de-açúcar disponibilizada na temporada 18/19.

JornalCana apresenta a seguir informações de Plínio Nastari, presidente da consultoria Datagro, apresentadas em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (30/10) no segundo e último dia da 18ª Conferência Datagro Sobre Açúcar e Etanol na capital paulista.

Balanço da 18/19 no Centro-Sul 

A região registra recorde. Até 31/10, a expectativa de precipitação pluviométrica média ponderada por micro-região é de 239 milímetros. Com isso, a previsão inicial de que as usinas terminariam a moagem mais cedo, agora a estimativa é de que a safra será esticada.

Moagem ‘esticada’

A moagem deverá ser prolongada entre 12 a 15 dias entre as 283 unidades produtoras em operação na temporada 18/19 no Centro-Sul.

Menos açúcar com safra ‘esticada’

Com a safra ‘esticada’ em 15 dias haverá menor produção de açúcar e mais etanol. Por três motivos. O primeiro é que ao estender o período de moagem consegue-se direcionar o caldo e o setor produtivo tem priorizado a produção de etanol hidratado. Segundo motivo: o ATR está mais baixo. Terceiro: há menos pureza, menos sacarose no caldo.

Menos sacarose favorece o etanol

Para fazer açúcar, cristaliza-se a sacarose. O açúcar é sacarose cristalizada. Como estica-se a safra, há menos sacarose no caldo. Quando a cana recebe mais umidade, a molécula de sacarose, que tem peso molecular de 342 (mais molécula de água de 18), ela inverte para duas moléculas de glucose, com 180 cada, ou seja, metade do peso molecular. E a glucose você fermenta e produz álcool, mas não consegue cristaliza-la.

Revisão da 18/19 para baixo

Diante a situação, a Datagro prevê moagem de 558,78 milhões de toneladas de cana no Centro-Sul. Na semana passada, em projeção anterior, a estimativa era de 558,12 milhões de toneladas. Anteriormente, previa 540 milhões de toneladas.

ATR

Previa 141,6 quilos por toneladas. Agora 139,51 quilos por tonelada.

Açúcar

Projeção atual: 26,38 milhões de toneladas. Previsão anterior: 27,285 milhões de toneladas.

“É a menor produção de açúcar em 12 safras no Centro-Sul. A última com produção semelhante foi a de 2007/08, com 26,47 milhões de toneladas. E na 06/07, 25,83 milhões de toneladas”

 

Etanol

Era 30,050 bilhões de litros. Agora, 30,045 bilhões de litros.

Mix

Açúcar, que estava com projeção de 36,2%, agora é de 35,5%.

2019/20

Ainda é cedo para dizer, porque depende das chuvas. Estimativa central é de 570 milhões de toneladas. Com ATR de 137 kg por toneladas. A oferta de ATR é parecida com a da 18/19.

Por que a safra deverá ser igual

Apesar de ter cana mais velha, faltou plantio de 18 meses e o de 12 meses está atrasado, há infestação de pragas. Mas levantamento de agrônomos revela que a cana responde bem por conta das chuvas desde agosto.

Início da moagem mais tarde

Por isso, só metade das unidades deverá iniciar a moagem da 19/20 no primeiro trimestre.

Mix

35,5% para o açúcar. Isso porque tem muito produtor indicando que irá produzir mais álcool que na 18/19, porque  embora o preço do álcool tenha recuperado nos últimos 30 dias, o preço do etanol ainda está superior em termos equivalentes.

O mix deve ficar mais alcooleiro pelo menos na primeira metade da 19/20. Talvez na segunda metade o mix deverá ficar mais açucareiro se o preço do açúcar melhorar. 

Produções previstas

Açúcar: 26,4 milhões de toneladas, uma repetição da produção da 18/9. Etanol: 30,5 bilhões de litros, mesmo número da 18/19.

Hedge do açúcar da 19/20

A produção de 26,4 milhões de toneladas no Centro-Sul significa exportação de 16 milhões de toneladas, o que leva ao hedge. No Brasil, o hedge é combinação de Nova York com câmbio. Quando estava em 26/09 a 9,9 cents de dólares por libra-peso para 14,01 no fim de outubro, com queda nos últimos dias, para 13,35. Mas com o câmbio a R$ 4,12 e NY a 11 cents, as telas de 2020 permitiam redear a R$ 1,350 mil por tonelada. Agora, com 14 e câmbio a R$ 3,70, para 2020 dá R$ 1,250 mil.

 

Tailândia, na safra 18/19 (outubro a setembro de 19): 13,35 milhões de toneladas, contra 14,68 milhões de toneladas da 17/18. Quebra devido à baixa incidência pluviométrica em 27%.

Índia: monções abaixo da média e produção de açúcar é de 32,5 milhões de toneladas na 18/19, ante 33,9 milhões da temporada anterior. Para a 19/20, 29,0 milhões de toneladas porque não se conseguiu plantar. Há também a praga da lagarta-branca, que afeta os canaviais.

União Européia: 21,1 milhões de toneladas na 17/18 e, na 18/19, 18,55 milhões de toneladas em função da redução de produtividade na lavoura de beterraba. Para a 19/20, projeção é de 17,8 milhões de toneladas devido ao menor plantio de beterraba a partir de fevereiro.

Paquistão: de 6,8 para 6,4 milhões de toneladas em função de seca na 18/19.

Rússia: redução de 6,05 para 5,7 milhões de toneladas na 18/19 por queda de produtividade.

Balanço mundial (produção menos consumo) previa déficit de 715 mil toneladas na 18/19 vai para 1,058 milhão de tonelada. Para a 19/20, o déficit deverá ir a 7,51 milhões de toneladas. O déficit é uma combinação de quebra no Brasil e Índia, por exemplo.

 

Inscreva-se e receba notificações de novas notícias!

você pode gostar também

Comentários estão fechados.

X